RAINHA

RAINHA

MENU

segunda-feira, 26 de março de 2018

GLÓRIAS DE SÃO JOSÉ

GLÓRIA E PODER DE SÃO JOSÉ

26 de março

SÃO JOSÉ E A VIDA INTERIOR

   São José é mestre da vida interior. Mas que é vida interior? A vida interior é esta doce intimidade com Jesus Cristo, o recolhimento de espírito, a vigilância contínua sobre si mesmo, esta vida divina em que a alma procura fugir do pecado e das agitações loucas do mundo para se ocupar das coisas eternas, pensar nas verdades de fé, caminhar nas vias da perfeição, e esta consiste em sua essência no amor de Deus e do próximo. Ora, não foram estas as disposições habituais da alma de São José? Quem conhece melhor e mais profundamente o Coração de Jesus? Diz São Bernardino de Sena: "São José teve, no mais alto grau o dom da contemplação". O Santo Patriarca recebeu mais do que todos os santos (excetuando-se Maria Santíssima) graças inefáveis do céu e as riquezas ocultas do adorável Mistério da Encarnação. Sua vida se passou em contínua oração, na intimidade de Jesus, no serviço de Jesus e por Jesus. Houve, por ventura, depois de Maria, maior intimidade de uma criatura com seu Criador? A fé viva e ardente que o levava a contemplar, na forma humana, a segundo Pessoa de Trindade Santíssima. Crer que ali estava sob seu governo em Nazaré, durante longos anos, o próprio Deus! Quantas luzes do céu não teve José da contemplação deste mistério! Depois de Maria Santíssima, nunca podemos imaginar um santo que tenha recebido maior privilégio de Deus e tenha possuído melhor a Jesus.

Santa Teresa, a grande Mestra da oração e da vida contemplativa, cuja doutrina hoje ainda leva tantas almas às alturas da mais íntima união com Deus, a grande Matriarca disse ter aprendido os segredos da sua vida interior na devoção a São José. Apenas uma pequena citação de suas obras: "De todas as almas que se dirigem sempre a São José, eu não conheço uma só que não tenha feito rápidos progressos na perfeição".
Daí, grandes santos aprenderam na escola de Nazaré a ciência do amor de Jesus e os segredos da vida interior.

Esta espiritualidade simples, feita toda de humildade e silêncio, sem brilho, bem oculta, bem comum na aparência, foi o encanto de Santa Teresinha do Menino Jesus. A Pequena Via da Infância Espiritual, da qual a Santinha de Lisieux se fez o arauto e a doutora, ela o disse, aprendeu na contemplação da vida oculta da santa casa de Nazaré.

EXEMPLO

Na escola de São José

   O piedoso e douto Padre Surin, mestre admirável de espiritualidade, conta o seguinte fato que se deu com ele: "Partia eu de Rouen, escreve, e no mesmo carro ia comigo um moço de cerca de dezoito anos mais ou menos, e sem nenhuma instrução. Era um empregado doméstico há muitos anos e nem sequer sabia ler e escrever. Qual não foi a minha admiração ao conversar com ele e perceber como entendia maravilhosamente das coisas espirituais! Falava da vida interior, da união com Deus, com muita clareza e bom senso, com segurança doutrinária; dizia coisas tão belas, que me enchiam o coração de fervor, e nunca ouvi alguém falar assim. Percebi que ele vivia numa oração contínua. Interroguei-o sob vários assuntos da vida espiritual, e me respondia tão bem, com singeleza e piedade. Não podia compreender onde havia aprendido tanta coisa sem um livro, sem um diretor espiritual

   "Ó meu bom padre, diz o moço, há mais de seis anos me coloquei sob a especial proteção de São José por inspiração de Nosso Senhor. São José é meu pai e meu mestre. Penso sempre nele e a ele me recomendo. Minha ciência vem do Pai Adotivo de Jesus Cristo!"

   O Padre Surin foi um dos apóstolos do culto de São José e dizia que a ciência de Santa Teresa nos domínios da espiritualidade foi haurida nesta fonte de vida interior que é a devoção a São José, na qual tanto se distinguia a Matriarca do Carmelo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário