sexta-feira, 21 de agosto de 2020

OS 4 GRAUS DO AMOR

São Bernardo de Claraval: 4 graus do amor e 2 orações a Nossa Senhora.

Ele é um dos santos mais cultos, sábios, fervorosos e devotos da Mãe de Jesus – e tem muito a nos ensinar!

São Bernardo de Claraval nasceu num castelo da França em 1090, de família nobre e rica, e teve o privilégio de receber uma educação de alto nível, além de valores firmemente cristãos. Inteligente, bondoso e carismático, abandonou a vida mundana para se tornar religioso, foi nomeado superior com apenas 25 anos, fundou cerca de 300 conventos, foi reconhecido como “o oráculo da cristandade” por sua ímpar sabedoria, era consultado por papas, bispos e reis, escreveu textos preciosos, compôs orações sublimes, levou milhares de pessoas a Cristo com seu incrível poder de persuasão e incentivou sua família inteira a se devotar a Deus de modo extraordinário.

A seguir, 3 dos muitíssimos legados deste grande santo da Igreja: uma lição sobre os graus do amor e duas orações belíssimas a Nossa Senhora.

1 – Os 4 graus do amor humano, segundo São Bernardo
Grau 1 – O homem ama a si próprio.

Grau 2 – Ao descobrir que não pode estar só e que Deus lhe é necessário, o homem começa a procurar o seu Criador e a amá-lo, mas como fonte de benefício.

Grau 3 – Como as necessidades o obrigam a recorrer a Deus com frequência, na meditação, na leitura, na oração e na obediência, o homem acaba compreendendo a doçura divina e atinge o terceiro grau: amar a Deus puramente e por Si próprio, mas ainda não com amor exclusivo.

Grau 4 – O homem ama somente a Deus e, em Deus e por causa de Deus, também ama o próximo e a si mesmo como filhos de Deus.

E Deus, como é que Ele nos ama? São Bernardo resume:

“Deixemos que responda São João evangelista: ‘Tanto amou Deus o mundo que lhe deu o seu Filho Unigênito’”.

2 – Oração “Lembrai-vos”
Lembrai-vos, ó puríssima Virgem Maria,
de que nunca se ouviu dizer
que algum dos que recorreram à vossa proteção,
imploraram a vossa assistência
e clamaram por vosso socorro
tenha sido por Vós desamparado.

Animado eu, pois, com igual confiança,
a Vós, ó Virgem entre todas singular,
como à Mãe recorro, de Vós me valho e,
gemendo sob o peso dos meus pecados,
me prostro aos vossos pés.

Não rejeiteis as minhas súplicas,
ó Mãe do Verbo de Deus humanado,
mas dignai-Vos de as ouvir propícia,
e de me alcançar o que vos rogo.

Amém."

Nenhum comentário:

Postar um comentário