sábado, 26 de setembro de 2020

Primeira Mensagem do Divino Espírito Santo Domingo, 4 de setembro de 2005

 





Marcos, Eu o teu Deus, venho a ti no dia de hoje, filho bem amado, venho para dizer-te, amo-te apaixonadamente, verdadeiras loucuras de amor divino realizei e realizarei ainda por ti, meu pequeno passarinho, continua a cantar ao mundo todo a beleza das minhas glórias e a beleza das glórias da minha Celestial e Divinal Esposa, a Virgem Maria. 


Ela é o arroubo do meu Coração. Ela é o encanto de todo o meu Ser Divino. Ela é o meu deleite. Ela é a minha consoladora. Ela é a minha paz. Ela é o meu descanso, é o meu céu de maravilhas. Ela é o jardim das minhas delícias. 


Marcos, Eu o teu Senhor, o Divino Espírito, venho para usar-te, para ter-te como meu filho bem amado, como meu instrumento de salvação para toda a humanidade. Saibam, oh filhos meus, que Eu sou a luz verdadeira. Eu sou aquele que sou. Eu sou o que era, o que é e o que será para sempre. 


Eu sou o vento que não sabeis de onde vem, e nem para onde vai. Sopro aonde os homens não imaginam e deixo de soprar aonde os homens esperam. 


Eu sou aquele que escolhe como me apraz. Sou aquele que semeio na terra que Eu quiser e sou aquele que peço os frutos mesmo de onde Eu não semeei. Eu sou o fogo que queima no Céu entre os Serafins e que nunca se apaga. Eu sou aquele mesmo que os Anjos adoram tremendo. Eu sou aquele que os Santos não ousam olhar diretamente para mim, tão fulgurante é o meu rosto e o meu semblante. Eu sou aquele diante do qual mesmo as nuvens desejariam desfazer-se em chuva, e desaparecer no seio da terra para não terem de olhar-me, tal é minha glória e minha santidade.

 

Eu sou aquele que vem ressuscitar as vossas almas mortas e decompostas pelo pecado. Eu sou aquele que vem para mostrar-vos as sendas que levam para o Céu, o caminho que os conduzirá até o Céu. 


Cada dia tereis de invocar-me em vossas orações mais amiúde, pois me tendes esquecido.


 Eu venho para ensinar-vos a consolar os Corações do Filho, da Mãe e do Pai Eterno. Eu sou aquele que vem para ensinar-vos, ensinar-vos a obedecê-Los em tudo. Eu venho para destruir em vós tudo que é terreno, tudo que é carnal e colocar nos vossos corações tudo aquilo que é divino e celestial, tudo que é santo e tudo aquilo que é louvável, tudo que é admirável, e tudo que é de boa justiça. 


Eu sou aquele que venho para retirar das vossas almas o espírito das trevas, expulsá-lo, sim, este espírito que vós mesmos por negligência ou por pura vontade deixastes entrar em vossos espíritos, em vossos corações. Viveis errantes na terra, errais, cometeis erros após erros. A vossa fé se encontra distorcida, deturpada, mutilada e cheia de chagas e não é a fé viva, não é a fé bela, não é a fé ainda agradável aos meus olhos e é por isso que Eu venho, porque vos encontro doentes, vos encontro já em estado terminal e venho para tentar ressuscitar-vos, para tentar tirar as vossas almas do vale das trevas, do vale da morte eterna. 


Eu Sou aquele que desceu sobre os Apóstolos em Pentecostes. Não desci sobre a Mãe de Deus porque já sempre vivia Nela desde a sua Imaculada Conceição, apenas aumentei Nela os efeitos da graça inicial que desde sempre Ela já possuía. Sim, a Virgem Maria não me recebeu no dia de Pentecostes a primeira vez, mas sim no mesmo instante em que Eu, o Pai e o Filho criamos a sua alma sacratíssima. Naquele mesmo momento, Eu todo inteiro me comuniquei a Ela e já a esposei como a minha Esposa Celestial e Eterna. Não havia nada de mim que Ela não conhecesse e não havia nada Dela que Eu também não conhecesse. Sim, Ela e Eu éramos um durante toda a sua vida. Todos os sentimentos Dela eram consoantes aos meus sentimentos, todos os pensamentos Dela eram consoantes aos meus, todos os desejos do seu Imaculado Coração eram consoantes aos meus desejos.

Sim, Ela, por Ela, e somente Nela Eu habitei sempre, desde o primeiro instante e com toda a minha plenitude. Os outros mortais recebem apenas parte daquilo que Ela recebeu, pois somente Ela é digna, foi digna e sempre será digna de ser a morada do Deus Altíssimo em toda a sua plenitude, com todo o seu poder e com toda a sua graça. Somente Maria é o vaso das minhas eleições, somente Ela pode arrebatar o Coração de Deus Três Vezes Santo e agora Ela tem descido ao mundo em suas Aparições, para junto comigo realizar as suas maravilhas singulares e extraordinárias do fim dos tempos. Com Ela Eu tenho trabalhado e Ela tem sempre sido fecunda e me dado filhos gerados na graça. Sim, Eu e Ela estamos sempre agindo nos locais das Aparições para tentar salvar-vos da grande perda ameaçadora que vos ameaça. 


Eu, o Espírito Santo, com uma luz mil vezes mais forte que a do Primeiro Pentecostes, hei de extirpar as trevas do seio da humanidade. Com a luz de 7 dias num só dia, Eu banirei o espírito das trevas, e ele fugirá e sobre essa humanidade brilhará uma luz, uma nova luz nunca antes vista e diante desta luz, todos os peitos se abrirão, todos os lábios prorromperão com júbilo e agradecimento a mim, vosso Deus, e todos os joelhos dobrar-se-ão ante a minha glória. 


Quando os homens escutarem os meus passos no jardim, todos eles pressurosos, lançar-se-ão aos meus pés, e chorando, adorar-me-ão, em espírito, verdade e vida.

Eu venho para ensinar-vos a amar a Mãe, esta Mãe que tanto vos ama, mas que só é paga com as vossas ingratidões. Sim, Ela era alegre, Ela era feliz, mas agora no semblante Dela Eu só vejo tristeza e quando Eu lhe pergunto: 'Esposa Sacratíssima minha, que tristeza é essa que Eu vejo em vosso semblante?' E Ela, para não provocar ainda mais a minha cólera contra os vossos pecados tenta esconder o motivo de sua tristeza. Mas Ela já não pode mais. Eu vejo que a tristeza da minha Esposa Sacratíssima sois vós, vós sois os culpados da tristeza Dela. Vós tendes transformado a existência da minha Esposa Sacrossanta num mar de amarguras, dores e lágrimas. Ela está aflita! Não tem um segundo sequer de descanso e de paz. Ela é atormentada constantemente pelas desobediências e pelos pecados dos próprios filhos por quem Ela tanto trabalha e tanto luta para salvá-los, mas deles não recebe outra coisa senão ingratidão, maldade e frieza.

Ouvi-me agora: que pretendeis? Até quando quereis continuar provocando suplícios à minha Esposa Sacratíssima? Acaso terei Eu que lançar sobre vós um fogo, que não será o fogo de Pentecostes, mas sim o fogo do castigo e da destruição? Vós já estais quase semelhantes aos demônios do inferno em maldade e ingratidão para comigo, o vosso Deus. Tenho vos tolerado até o dia de hoje, mas vos aviso, em breve não vos tolerarei mais, tirarei da minha presença todos os que fazem a maldade, tirarei da minha presença todos os ingratos, os vagabundos que não querem ser bons servos para mim, vosso Deus. Tirarei da minha presença todos os profanos, todos os hipócritas, todos os falsos, os que confundem os meus mandamentos, que distorcem as palavras da verdade divina, todos aqueles que se fingem de filhos da luz mas são filhos das trevas, que apresentam-se como pombas mas na verdade são serpentes venenosas. 


Eu, vosso Deus, vos venho dizer a verdade.  Eu, vosso Deus, vos ensinarei o caminho da justiça. Eu, vosso Deus, separarei o joio do trigo e o joio será lançado num fogo que nunca se apaga e queimará. O trigo será guardado no celeiro do Céu pelas mãos dos Anjos e ali será sempre alegria por toda a eternidade.


A cada dia deveis rezar assim para mim, vosso Deus:

Óh Espírito Santo, meu Deus e Esposo de minha alma, vinde a mim, que a minha alma desfalece por Vós, meu Divino Esposo. Vinde dar-me o vosso beijo de amor, o vosso abraço celestial. Vinde soprar em meu rosto as vossas fragrâncias celestiais, o vosso sopro de vida, e eu então reviverei. 


Óh meu Deus, Vós que habitais no mais alto dos Céus.  Vós que estais assentado entre os Anjos e os Santos, Vós, para cuja face os eleitos do Paraíso não ousam sequer olhar. Vós que sois de encantadora beleza. Vós que sois a mesma beleza. Vós que sois o ânimo da minha alma. Vinde a mim, meu Esposo, e comunicai à minha alma com o vosso abraço, a vossa luz celestial e beatíssima. Vinde ensinar-me a amar a vossa Esposa Celestial. Vinde revelar-me os mistérios Dela. Vinde revelar-me a beleza da vossa Esposa Divinal, Maria Santíssima. Que eu conheça as suas Dores para compadecer-me Delas e para amá-La mais. Que eu conheça as suas Virtudes, para que as imite, para agradá-La ainda mais. Que eu conheça a Santidade Dela, para que A queira e  deseje amá-la cada vez mais. Que eu conheça as belezas interiores da Esposa do Rei Eterno para que assim me enamore Dela e por Ela viva e sofra tudo que houver que sofrer cada vez mais. 


Óh Espírito Santo, meu Deus e meu Senhor, descei sobre mim agora. Ouvi a voz da vossa Esposa Divinal, Maria, que vos chama, para que venhais sobre mim e para que opereis em mim a obra das vossas obras que é amar e obedecer à vossa Esposa Maria para que então Cristo nasça em mim e o vosso Reino aconteça e se espalhe na terra. 


Óh Espírito Santo, vinde a mim! Vinde por Maria. Vinde com Maria. Vinde em Maria e descei sobre a minha alma. Amém.

Rezai assim, diariamente a mim vosso Deus, e vos comunicarei as graças do Coração Imaculado de Maria e as graças do meu amor e poder, por meio do Coração Dela. 


Deixo-vos a paz. Dou-vos a paz. Ficai em paz. 


Filho meu, vem, vem depressa que há muito te espero, filho, tu que andas longe de mim há muito tempo. Regressa logo, porque o tempo está acabando e há muito tempo que te espero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário