terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

APARIÇÕES DE VOLTAGO -ITÁLIA


AS APARIÇÕES DE NOSSA SENHORA DE VOLTAGO- ITÁLIA

Piandisón tercence a Voltago Agordino, Itália. 
Foi em Piandisón que no dia 5 de julho de 1937, uma segunda feira às 13h Nerina Faustini de 11 anos, Maria Miana de 13 anos, seu irmão mais novo Giovanni de 9, Dario e Anna Agnolet de 12 anos, enquanto guardavam as vacas no pasto viram uma grande luz aparecer sobre uma rocha e correram em sua direção; viram que era a Virgem e caíram de joelhos aos seus pés.
 Nossa Senhora voltava todos os dias, exceto aos domingos, no mesmo local. 

Na segunda aparição, Elsa Miana de 13 anos, e Rina Conedera de 14 anos também viram Nossa Senhora. Esta última, que acabava de exprimir a sua descrença, era justamente quem repetia as palavras ditas pela Virgem. 

Na terceira Aparição esteve presente a camponesa Enrichetta Da Campo, de 27 anos, que se dizia incrédula. Ela também teve a graça de ver a Virgem e tal foi o seu espanto que gritou: “Estou a ver! Eu vejo-a!" e caiu inconsciente.

 As cinco meninas estavam ajoelhadas em frente à rocha onde a Virgem lhes aparece todos os dias. Um filete de água corre na base da pedra. Os pequenos têm uma expressão mística e sincera. Quando eles vêem a Virgem, eles abrem e fecham as mãos em intervalos. Às perguntas que lhes são dirigidas, respondem sem virar a cabeça nem se distrair, absorvidos como estão na visão.
 Num determinado momento, extasiados, cantaram o "Deus te salve, ó Maria". O coro sobe solenemente, com três vozes, e os fiéis permanecem em concentração religiosa. 

Assim que a Virgem apareceu, as meninas foram questionadas sobre como ela estava vestida. “Ela está toda vestida de branco com uma faixa azul e doze estrelas douradas ao redor da cabeça”, respondeu Rina Conedera, que demonstra menos timidez. 
“A Virgem estava descalça e segurava o rosário com as mãos postas”. Durante a aparição, um bilhete foi colocado nas mãos da pequena Conedera com uma pergunta escrita, que a criança não podia saber: “Vence a Cruz de Cristo na Espanha católica?”.
 As meninas declararam que a Virgem disse: "Sim, mas devemos rezar". 
Um fato muito estranho é que as respostas são pronunciadas por essas pastorinhas, que falam apenas o dialeto agordino estrito, e respondem em italiano perfeito. Perguntou-se a uma delas se uma freira, doente e internada no hospital de Agordo, seria curada. Também desta vez a Virgem respondeu: "Sim, desde que reze, peçam".
 -Quem te faz sofrer? - perguntaram novamente. 
“-Os incrédulos” respondeu a Virgem.

O Simples local das Aparições passou a chamar-se o "Sas de la Madòna" e foi desenhada uma cruz na rocha para lembrar que a Madona e Jesus a  pisaram com seus pés 


Foi manifesto também o "sinal divino dos sagrados estigmas", que Maria Miana recebeu no Santuário da Vergine del Portone em Asti, a 29 de outubro de 1937. E que todas as sextas-feiras às 3 da tarde (hora em que Jesus morreu na cruz) se repetia 

As videntes foram submetidas a um severo interrogatório e analisadas pelo médico provincial, que depois de obter várias informações sobre o estado de saúde das humildes raparigas e dos seus famílias, emitiu uma resposta favorável sobre a saúde de cada menina ”.

Com o espalhar da notícia das Aparições chegam a Madonna di Voltago milhares de pessoas de todos os lados até mesmo do estrangeiro.
Em Voltago Agordino uma multidões se aglomeram, como testemunham fotos da época, apesar das ameaças da autoridade eclesiástica. Enquanto isso, os boletins paroquiais aumentam o tom. Os fiéis são lembrados do “sagrado dever de submeter-se com respeito interno e externo às decisões do Santo Ofício”, decidem, então, privar os que continuam a frequentar os locais das aparições dos santíssimos sacramentos.
Os tons, de fato, tornam-se cada vez mais ameaçadores, até que em 1943 o Papa Pio XII inflige a excomunhão a dois dos protagonistas da história das Aparições. E o caso fica encerrado.

Apesar de todos os cuidados tomados pelo Vaticano, muitos peregrinos continuaram a se deslocar ao local do encontro mas em muito menor escala. 83 anos se passaram desde a primeira Aparição da Madona e o "Sas de la Madòna" é uma APARIÇÃO QUE SE RECUSA A MORRER. É um local cuidado por alguns devotos que rezam o terço no principio e fim de mês, fazendo, em certas alturas uma procissão. Compete a cada um de nós divulgar  as Aparições da Madona e dar-lhe o devido amor e obediência que o clero recusa dar.

Os videntes
Rina Conedera e Elsa Miana, ambas de 13 anos tornaram-se  freiras e Erminia Miana de 12 anos, na altura, irmã de Giovanni.

Maria Miana, morreu numa sexta-feira, 12 de maio de 2006, em Busto Arsizio. Foi sepultada no cemitério de Voltago Agordino, onde nasceu em 1924. 
Dario Agnolet, morreu entre 25 e 26 de junho de 2017 no hospital de Agordo 

No dia 1 de junho de 2018 morre Anna Agnolet com 93 anos a última vidente das aparições marianas de Voltago, ela pouco falou sobre o que acontecera, naquele ano distante de 1937.

Nenhum comentário:

Postar um comentário