sábado, 2 de julho de 2022

VIDENTE DE EZQUIOGA

Interrogatório ao vidente José Garmendia, vidente de Ezkioga perante o pároco e duas testemunhas de Legazpia, em Setembro de 1933.

- Pároco: O senhor é José Garmendia?
- Vidente: Para servir a Deus e a vós.

- Vou ler a circular do bispo. Lê-o. Está disposto a
obedecer ao bispo, não indo a Ezquioga e Olaverría? 

-Olaverría é a casa habitada por  Benita Aguirre.

- Qual é a duração de um acordo deste tipo?

- Até sempre.
- Obedecerei até que a Santíssima Virgem me envie de novo .
- Então a sua obediência é condicional.

- Enquanto a Santíssima Virgem não me mande mais nada, manterei a minha promessa.
Continuo absolutamente grato à Santíssima Virgem, porque foi Ela, e não você, aquele que me converteu à fé católica e às boas obras. Eu era socialista, e detestava o céu e a terra. não podia ver os padres, e estes, que me viram dessa forma, não fizeram nada pela minha conversão. Mas eu fui a
Ezquioga e eu vi a Virgem, e tal a vi, que ela me ordenou que corrigisse a minha vida, e desde então, penso que sou um bom católico. E você sabe que não converte, senão quem pode. E se Ela o fez, é porque ela realmente me apareceu. Isso é bom. Como devo tudo isto à Santíssima Virgem, pelo bem que ela me fez e que ninguém foi capaz de me fazer, não irei, enquanto Ella não me pedir mais nada. Quando me pedir, eu irei, mesmo que me mate.

- Ele tem razão, disse uma testemunha.

- Pároco: Bem, conhece o mandato do bispo.

- E também o que devo à Santíssima Virgem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário